0
0
0
s2sdefault

mapa futura fico abÁGUA BOA – Nossa reportagem efetuou levantamento da logística mínima necessária para instalar um porto seco de ferrovia quando a FICO apitar com o trem em nossa cidade.
Tomando por base o modelo de implantação da ferrovia em Rondonópolis no começo da década, o pátio deverá ter ampla área para receber armazéns das empresas interessadas em promover o transporte pela ferrovia.
No futuro porto seco serão instaladas empresas de grãos, combustíveis, fertilizantes, frigoríficos (carnes), madeira e outras matérias primas. A operacionalização desse enorme pátio de cargas deverá contar com cerca de 300 hectares.
Um empresário do ramo imobiliário informou à nossa reportagem com exclusividade, que será construída uma trincheira (túnel) para que a rodovia BR-158 receba o entroncamento rodoferroviário.
Essa trincheira deverá ser construída a cerca de 1 quilômetro de onde hoje está a Penitenciária Regional Major Zuzi, no interior de Água Boa (22km da cidade).
A Valec, empresa do Governo Federal que trabalha com a logística do transporte ferroviário já fez contato com a mesma imobiliária para saber da possibilidade de dispor de uma área aproximada de 300 hectares naquela região.
Só com a empresa que vai administrar a futura Ferrovia de Integração Centro Oeste, serão gerados cerca de 30 empregos diretos entre os técnicos que vão operacionalizar a FICO.
As demais empresas que vão se instalar para armazenar os produtos a serem transportados pela ferrovia, deverão instalar sua logística particular na mesma região. Isso vai gerar emprego e renda, exigindo a necessidade de planejamento do futuro porto seco.
Os armazéns terão que preparar pátios de estacionamento para carretas e toda a infraestrutura exigida para casos assim.
Os produtos transportados passarão por análise de qualidade e pesagem, para posterior carregamento nos containers do trem. Para isso, serão necessárias a instalação de balanças eletrônicas e sistema de tombamento das cargas, para o caso de grãos. Quando se tratar de madeira, o processo é diferente.
No terminal haverá algumas tulhas de carregamento que consistem em recipientes para armazenagem intermediária do produto até que o mesmo seja despejado nos vagões de transporte.
Cada tulha pode ter capacidade de 500 toneladas. Como a estimativa inicial é de alcançar até 12 milhões de toneladas, a estrutura mínima será de até 75% do porto seco construído para a ferrovia no município de Rondonópolis, sul de Mato Grosso.
Toda essa estrutura a ser construída demandará enormes investimentos, gerando emprego e renda. Exigirá também uma espécie de vila, um pequeno centro urbano que vai aglutinar toda essa estrutura da empresas ligadas ao agronegócio.