0
0
0
s2sdefault

cavalosCUIABÁ - Seja para práticas esportivas ou para auxílio na pecuária, saber conduzir um cavalo facilita a atividade. E, mesmo criadores experientes estão buscando por capacitação para lidar com os animais.

Um dos exemplos foi em Acorizal, onde produtores e trabalhadores rurais concluíram o curso de Rédeas de Equinos neste mês de outubro.Mateus Henrique Monteiro, 23, trabalha há tanto tempo com os equídeos que nem soube dizer quando a paixão começou.

Hoje, seus animais são criados tanto para competições quanto para a pecuária e confirma que o relacionamento deve ser de confiança mútua. "Tem que conhecer o temperamento do animal.

É uma relação de amizade com o cavalo, não de posse".Segundo o presidente do Sindicato Rural de Acorizal, Luiz Carlos da Silva, a corrida de cavalos faz parte da cultura local e mobiliza toda a cidade. "Antes da pandemia havia pelo menos duas corridas por mês em uma área de 14 hectares cedida pelo Sindicato".

O Senar-MT oferta cerca de seis cursos visando a boa condução dos animais como a doma racional de equinos e muares, rédeas de equinos, casqueamento e ferrageamento.

Mário Santarenha, produtor rural e instrutor de equideocultura credenciado junto ao Serviço Nacional de Aprendizagem Rural de Mato Grosso (Senar-MT), acredita que a capacitação melhore a rotina do produtor. "Algumas propriedades rurais possuem poucos funcionários.

Se o cavalo for manso e qualquer pessoa puder montar, facilita muito o serviço".Durante 16 anos, o produtor rural Cássio Junior Rodrigues da Costa passou dificuldades com seus cavalos. Somente após a realização dos cursos de doma racional e rédeas de equinos, o pecuarista de Araguaiana aprendeu a lidar melhor com os animais.

"A gente aprendeu que tinha que tratar o animal na base da pancada e não é assim. Hoje consigo montar, laçar uma vaca, encostar numa porteira, tudo com mais facilidade".

Atualmente, o produtor possui cinco animais em sua propriedade de gado de leite e gado de corte. E, após os treinamentos, ele adquiriu uma nova função: domador.

"Com a doma racional, os animais ficam dóceis. Hoje cuido de outros 15 cavalos e sempre ensino os meninos que trabalham comigo para que eles também saibam como lidar com a tropa". 

Fonte: Assessoria de imprensa/Senar-MT